Você está aqui: Página Inicial / Pastoral Escolar / #PraPensar / Relacionamentos em obras

Relacionamentos em obras

“Feliz o homem e a mulher que acha a sabedoria, e o homem e mulher que adquire conhecimento” (Provérbios 3.13 – adapt.).

Hoje em dia os relacionamentos sofrem de uma frieza generalizada, com as pessoas cada vez mais focadas em suas próprias vidas e cada vez menos se importando com o bem comum, por isso, é necessário uma reforma em todo nosso modo de viver.

Tornamo-nos tão insensíveis. Todos os dias somos bombardeados com notícias sobre assassinatos, roubos, estupros e tantas outras coisas. Por causa da violência que só cresce, problemas “pequenos” nos relacionamentos acabam sendo menosprezados e, por não serem resolvidos, prejudicam os relacionamentos e esses entram em crise.

Isso não pode ser resolvido de uma hora para a outra, é necessário toda uma reeducação, as pessoas precisam reaprender o que há muito esqueceram. Precisam aprender a dar valor às pessoas. Gestos de carinho que deveriam ser vistos como básicos, em uma sociedade saudável, não são vistos em geral. Por exemplo, ceder o acento para uma pessoa idosa, hoje em dia é algo tão raro e deveria ser tão normal. A única solução é valorizar o amor.

O que é então importante em uma relação familiar? Entre outras coisas, destacamos a conversa e a compreensão. Hoje em dia, pela situação financeira dos pais, muitos pais chegam mais cansados e estressados dos trabalhos e não dão atenção para os filhos. Cobram resultados escolares, cobram os deveres e as notas, mas se esquecem do mais importante, aconchegar, conversar, dialogar, interagir com os filhos. E essa é uma das reformas que os relacionamentos precisam.

Vivemos na era digital, temos todos os recursos para comunicar nossas ideias pelos diversos meios de comunicação, mas, ao mesmo tempo, observamos uma dificuldade nos relacionamentos. Às vezes, conversamos com algum amigo que está do outro lado do mundo, mas falamos tão pouco com aqueles com quem dividimos a maior parte da nossa vida: a família.

É preciso reequilibrar os valores, redimensionar o tempo que dedicamos ao trabalho e às tarefas, para poder usufruir do relacionamento com as pessoas mais importantes da nossa vida: nossa família.

O ambiente familiar precisa oferecer segurança, aconchego e amor. Pais que ouvem seus filhos, filhos que ouvem seus pais. Caminhos que se descobrem juntos, quando se aprende a ouvir, geram vida e paz àqueles que se propõem a exercer a tolerância, a viver com sabedoria, a experimentar a ternura, o afeto e o afago.

Para pensar: Não basta ser família é preciso participar.


Ana Beatriz Silva Mac Cormick  e Luiz Felipe Salac
Alunos do Ensino Fundamental II
Colégio Metodista Bennett