Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Professoras dão dicas para os pais ajudarem os filhos na alfabetização

Professoras dão dicas para os pais ajudarem os filhos na alfabetização

Professoras dão dicas para os pais ajudarem os filhos na alfabetização

A alfabetização é um processo que pode ser mais sólido e prazeroso para a criança quando há o envolvimento e o apoio da família. “Em meio à correria do dia a dia, muitas vezes a atenção necessária ao estudo ou a ação de reforçar a alfabetização orientada pelo professor da escola parecem ser impossíveis”, afirmam as professoras Gleydiane Wolff Santos e Jacqueline Jayme, ambas do 1º ano do ensino fundamental 1 do Colégio Piracicabano.

Segundo elas, a criança nasce em um mundo ‘letrado’, ou seja, quase tudo à sua volta pode ser lido. “Muitas coisas são interpretadas por sua logomarca, formato ou desenho, mas as letras precisam ser decifradas”, afirmam.

Elas destacam algumas dicas que podem auxiliar os pais a ajudarem seus filhos a desvendarem e exercitarem o mundo letrado. Acompanhe:

- É importante dar utilidade à escrita. Por isso, no momento de escrever a lista do supermercado, chame seu filho para escrever para você. Aproveite esse momento para fazê-lo refletir sobre o som das letras nas palavras. Vale também fazer bilhetes para o papai, mamãe, vovô e vovó, e deixar na geladeira ou em um lugar especial de surpresa.

- Ter o alfabeto por perto na hora da tarefa de casa pode ser muito interessante quando surgir dúvida na escrita de alguma palavra.

- Nomeie e construa com o seu filho a escrita dos espaços e objetos de sua casa. Crie plaquinhas com esses nomes usando canetinha ou no computador. Para ilustrar as placas, é possível desenhar ou colar gravuras. Lembre-se de fazer essa produção por etapas. Uma dica é construir duas ou três placas a cada dia.

Gleydiane e Jacqueline também destacam que toda atividade que os pais fizerem com seu filho deve ser um momento prazeroso. “Tenha sensibilidade de perceber o quanto ele consegue desenvolver naquele dia e dose o tempo. Tornar uma atividade cansativa pode não ser mais significativo para o desenvolvimento da criança”, afirmam as professoras.

 

Texto: Assessoria de Comunicação e Imprensa
Edição: Celiana Perina
Fotos: banco de imagens
Última atualização: 25/07/2017