Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Pira é exemplo de acolhimento e infraestrutura para alunos internacionais

Pira é exemplo de acolhimento e infraestrutura para alunos internacionais

Pira é exemplo de acolhimento e infraestrutura para alunos internacionais
O trânsito de intercambistas e a recepção de alunos internacionais trazem, anualmente, várias nações para dentro do Colégio Piracicabano. Alemanha, Coréia, Indonésia, Estados Unidos, Taiwan, Índia, Peru, Japão, Síria, Portugal, México, Islândia, China e Malásia são alguns dos países recepcionados pelo Pira devido à excelência no acolhimento e infraestrutura para este público internacional.

“Nos últimos cinco anos, Piracicaba tem vivido uma transformação na sua configuração populacional, principalmente devido à instalação da empresa Hyundai Motors, que oportunizou a vinda de centenas de famílias coreanas, além da significativa quantidade de famílias chinesas que trabalham no comércio local”, ressalta Marcia Eliandra Godoi Bottene, professora de inglês e responsável pela assessoria aos alunos internacionais no Colégio. O Pira também recebe pessoas de outras nacionalidades devido ao programa de intercâmbios escolares entre colégios metodistas da América Latina.

A procura pela instituição de ensino é tradicional quanto ao aspecto confessional e cristão da escola, que foca a educação como um bem e direito de todos. “Pensando na inserção desses alunos internacionais num ambiente de aprendizagem que seja o menos agressivo possível à sua singularidade, o Colégio Piracicabano criou o setor de Assessoria aos Alunos Internacionais, na perspectiva de promover a adaptação dos mesmos, de maneira que possam romper barreiras linguísticas, culturais e emocionais”, conta a professora Marcia.

O Colégio tem estudantes internacionais matriculados desde a educação infantil até o ensino médio, e o departamento de assessoria é responsável por desenvolver ações diferentes e adequadas às necessidades de cada nível. Marcia conta que a agenda da assessoria prevê encontros semanais com os estudantes, em grupos e individualmente, para conhecer as dificuldades vividas.

“Isso possibilita auxiliar os docentes envolvidos no processo de aprendizagem, fornecendo feedbacks quanto à compreensão dos conteúdos, permitindo intervenções frequentes que contribuem para que a inclusão social e pedagógica aconteça de forma gradativa”, ressalta Marcia.

MÍNIMO PARA JOVENS
Para os ensinos fundamental 2 e médio, o Piracicabano tem como referência na grade pedagógica um currículo mínimo, entendido como ponto de partida para minimizar as dificuldades enfrentadas, promovendo a inclusão de forma gradativa e permitindo que, além de serem respeitados em relação à língua materna e cultura, sejam incluídos no sistema de ensino regular.

“Assim eles têm suas necessidades educacionais atendidas para que possam se sentir emocionalmente acolhidos e pedagogicamente competentes para desempenhar o que lhes é solicitado em sala de aula”, conta Marcia.

O currículo mínimo tem material selecionado pelas assessorias de área, organizado em forma de apostila, e contempla a necessidade de o aluno estrangeiro conhecer inicialmente o espaço geográfico brasileiro, bem como a história do Brasil e conceitos fundamentais da matemática, contribuindo para a ampliação do vocabulário acadêmico.

PIRA E O MUNDO

A convivência com os alunos de outras nacionalidades promove aos brasileiros, enquanto cidadãos de um mundo globalizado, o contato direto com a diversidade cultural e social.

“Quanto maior este contato, mais estamos aptos para atuar de maneira eficaz em situações que envolvem o ´fazer parte de um grupo´, pois aprendemos a respeitar o diferente, participando de maneira ativa para que o grupo seja o mais harmônico possível. Quando apresentamos respostas às diferentes necessidades educacionais, promovemos a inclusão”, destaca Marcia.

 

Texto: Cristiane Bonin
Fotos: banco de imagens
Coordenação/edição de texto: Celiana Perina
Última atualização: 27/01/2015
registrado em: