Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Mês da Criança: Piracicabano foca no combate ao consumismo

Mês da Criança: Piracicabano foca no combate ao consumismo

Mês da Criança: Piracicabano foca no combate ao consumismo
No mês da Criança, o Colégio Piracicabano tem como foco o combate ao consumismo e promoção de atividades educativas e lúdicas. Sem ignorar a existência da data, a proposta pedagógica faz uma abordagem voltada à conscientização dos pais e, aos alunos, o resgate das brincadeiras da infância, da diversão e da importância de ser criança. Participam do programa alunos dos níveis infantil, integral e fundamental 1.

“Tentamos evitar qualquer ação voltada ao consumismo, valorizando o ser, o estar com amigos e familiares em vez do ter, do comprar”, conta a coordenadora pedagógica da educação infantil, Fernanda Mariano Rodrigues. Durante todo o mês de outubro, os alunos estudam o tema O que Podemos fazer para Combater o Consumismo na Infância?

DICAS AOS PAIS

Dar o exemplo. Se a criança vê os pais consumindo muito e sem critério, entende que isso é certo e buscará imitá-los;

Dizer não à criança com firmeza e confiança é uma boa prática para sua educação, e transmite noção de realidade, limite e proteção;

Reforçar e apoiar comportamentos saudáveis. Elogiar os acertos é tão importante quanto apontar os erros porque fortalece a confiança das crianças nas orientações que recebem;

Incentivar brincadeiras criativas e em grupo que não dependam da compra de produtos ou brinquedos;

Não deixar aparelhos de TV ou computadores nos quartos das crianças. Estimular mais o contato com a natureza;

Ensinar a criança a dar valor ao dinheiro e a importância de poupar e gastar com produtos  realmente necessários;

Fazer acordos com as crianças antes de sair às compras, combinando o que irão comprar;

Incentivar as crianças para que não apreciem produtos de marca a fim de serem aceitas e respeitadas. Não é preciso ter para ser;

Estimular uma alimentação saudável, balanceada e sem excessos, priorizando comidas caseiras e não-industrializadas;

Evitar dar presentes para substituir o afeto e compensar a ausência.  Às vezes, é mais importante estar presente do que dar presentes;

Site sugerido para consulta: www.criancaeconsumo.org.br

Texto: Crisitiane Bonin
Fotos: Bob Calligaris
Edição e Coordenação: Celiana Perina
Última atualização:  23/10/2015
registrado em: