Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Homenagem aos 175 anos de Martha Watts, fundadora do Colégio Piracicabano

Homenagem aos 175 anos de Martha Watts, fundadora do Colégio Piracicabano

Homenagem aos 175 anos de Martha Watts, fundadora do Colégio Piracicabano

13 de fevereiro de 1845. Essa foi a data em que, há exatos 175 anos, nasceu nos Estados Unidos, Martha Watts, fundadora do Colégio Piracicabano. Jovem missionária americana, ela mudou os rumos da educação quando decidiu se arriscar e embarcar para o Brasil com a missão de educar mulheres. Graças à sua paixão nasceu o Colégio Piracicabano.

Foram vários os desafios ao longo de sua trajetória, como o de desembarcar em um país desconhecido, sem dominar o idioma. Mesmo assim, ela persistiu na realização de seus sonhos e, em 1881, criou o Colégio Piracicabano. Com a inauguração da escola, a luta para transformar a educação da época estava apenas no início.

Após a consolidação do Colégio Piracicabano, local em que permaneceu por 14 anos, Martha Watts fundou outras instituições educacionais metodistas: o Colégio Americano, em Petrópolis (RJ) e o Colégio Izabela Hendrix, em Belo Horizonte. Por essas iniciativas, ficou conhecida como a “semeadora de escolas”. Em 1909, ela retornou aos Estados Unidos, onde faleceu.  

MARCO PARA A EDUCAÇÃO – Para Joceli Lazier, coordenadora do Centro Cultural Martha Watts, espaço criado em 2003 e que homenageia a missionária, as palavras que melhor descrevem a educadora são: destemida, determinada e carismática. Joceli afirma que Martha Watts foi uma mulher que enxergou além de suas fronteiras, e acreditou que a mulher poderia ser a protagonista da sua própria história, juntamente com os homens. “Ela foi um marco para a superação da educação excludente tanto no Brasil como em Piracicaba. Ela incluiu a mulher nos processos amplos de ensino-aprendizagem, muito além de meras atividades domésticas”, destacou Joceli.

Sobre a importância e o significado de Martha para a educação no Brasil, Joceli aponta que a missionária foi pioneira e responsável por fundar a primeira escola metodista do país, com métodos inovadores para a época. Segundo ela, o legado de Martha é o de que educar significa dar asas para a imaginação e à criatividade.

A missionária é lembrada em distintos momentos do calendário escolar pelos alunos, docentes e funcionários do Colégio. Entretanto, a diretora, profª Joselene Henriques, afirma que é necessário apresentar ainda mais destaque à figura da educadora como forma de reescrever a história diariamente. “Nossas vidas são constituídas também por marcas deixadas pelos que trilharam este caminho antes de nós”, afirma Joselene.

 


Texto: Carolina Piazentin
Edição: Angela Rodrigues
Última atualização: 12/02/2020