Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Boas-vindas!

Boas-vindas!

Boas-vindas!

Estamos retornando a mais um semestre em nosso Colégio Piracicabano. Sabemos que os desafios ainda são grandes e a vontade de vencê-los tem sido maior que qualquer vontade de desistir. Assim tem sido para nós da pastoral do IEP.

Para esse semestre e ainda refletindo sobre os cuidados e preservação do meio ambiente, trago para refletirmos a imagem de um fruto de uma planta ou de uma árvore que tem uma longa estação de crescimento até chegar a maturação. Para isso, utiliza-se todos os recursos e energias utilizáveis, como a água, o fertilizante natural, a luz e o calor do sol. Este mesmo processo, por adaptação, se pode aplicar ao Fruto do Espírito Santo. 

O apóstolo Paulo fala do Fruto do Espírito Santo, na sua carta aos Gálatas 5,22-23: “Mas o fruto do Espírito é: Amor, Paz, Alegria, Paciência, Benignidade, Bondade, Fidelidade, Mansidão, Domínio próprio”.

O Fruto do Espírito é uno e se divide em três grupos: em relação a Deus (amor, alegria e paz); em relação ao próximo (paciência, benignidade, bondade); e em relação a nós mesmos (fidelidade, mansidão e autodomínio). Cada virtude é um dom de Deus. Devido a nossa natureza, estamos sujeitos a nos rebelar contra Deus de formas diferentes. Às vezes, trabalhamos honestamente, mas zangamos por alguma coisa; outras somos pacientes, porém mostramos relapsos no serviço. Enfim, as nove virtudes são como espelho que faz com que nos conheçamos melhor.

Buscar esse fruto é o sinal certo da vida saudável, é a manifestação por meio da conduta, comunicada por Deus. Paulo não escreve sobre «frutos» e, sim, sobre «fruto»; cf. «fruto da justiça» (Filipenses 1.11, grego) e «fruto da luz» (Efésios 5.9).

Um belo cacho de nove variedades de fruto é aqui descrito e estão ligadas como que para sugerir que a ausência de qualquer delas significa a anulação de todas. Existe uma tríplice classificação, em hábitos mentais, qualidades sociais e princípios gerais de conduta, de grande ajuda no nosso dia a dia.

  • Hábitos mentais 

Amor.  Conhecido como o maior de todos os sentimentos. É o esforço deliberado do bem maior de outra pessoa sem nada querer em troca — que só podemos realizar com a ajuda de Deus — de não buscar jamais outra coisa senão o melhor, até para aqueles que buscam o pior para nós. O interesse e a.  (Rm 5.5; 1Co 13; Ef 5.2). Examinar o admirável elogio de Paulo ao amor, em 1Co 13.

Alegria. Profundo regozijo de coração... a sensação de alegria baseada no amor, na graça, nas bênçãos, nas promessas e na presença de Deus. Vai além das circunstâncias. (Sl 119.14,16)

Paz. Tranquila serenidade do coração proveniente da plena consciência de que nosso tempo está nas mãos de Deus. Ele que guarda o coração contra todas as preocupações e temores que pretendem invadi-lo (Filipenses 4.7). 

  • Qualidades sociais 

Longanimidade. Perseverança, paciência, ser tardio para irar-se ou para o desespero (Ef 4.2; 2Tm 3.10). Paciência passiva debaixo das injúrias ou danos sofridos

Benignidade. A bondosa disposição para com o próximo. Não querer magoar ninguém, nem lhe provocar dor (Ef 4.32; Cl 3.12; 1Pe 2.3)

Bondade. Beneficência ativa, sendo assim um passo além da benignidade. Zelo pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal; pode ser expressa em atos de bondade (Lc 7.37-50) ou na repreensão e na correção do mal (Mt 21.12,13). 

  • Princípios gerais de conduta 

Fidelidade; Lealdade constante e inabalável, palavra também traduzida por confiança. ( Tito 2.10; Mt 23.23; Rm 3.3; 1Tm 6.12)

Mansidão. Moderação, associada à força e à coragem; descreve alguém que pode irar-se com equidade quando for necessário, e também humildemente submeter-se quando for preciso, o temperamento de não defender de unhas e dentes os próprios direitos. É um dos atributos de Jesus (Mateus 11.29 e 2Coríntios 10.1).

Domínio próprio. Geralmente traduzido por «temperança» noutras versões; equilíbrio. A ideia sugerida é a do indivíduo que sabe controlar firmemente seus desejos, paixões e atitudes. (Atos 24.35 e 2Pedro 1.6)

Amor, paz, alegria, paciência, benignidade, fidelidade, mansidão, domínio próprio... É o que desejamos a todos/as professores/as, funcionários/as e alunos/as.

Pastora Márcia e Samantha - Pastoral Escolar e Universitária
2º semestre - 2019