Você está aqui: Página Inicial / Nossa história

Nossa história

Uma antiga e bela história em Piracicaba...

 

Em 13 de setembro de 1881, a missionária norte-americana Martha Watts (1845 - 1909) abriu as portas de uma nova escola em Piracicaba: o Colégio Piracicabano. O colégio, que foi a primeira instituição Metodista no Brasil, começou a funcionar com apenas uma aluna, Maria Escobar.

Naquela época, Piracicaba não era mais do que uma pequena vila, um amontoado de casas simples, ruas de terra onde transitavam carroças e carros de boi iluminadas por lampiões e querosene, quando o Colégio Piracicabano chegou na cidade.

O Brasil ainda era governado pelo imperador D. Pedro II e a escravidão não havia sido abolida. Mas um grupo de pessoas progressistas já trabalhava pela libertação dos escravos e pela implantação da República. Uma escola moderna e visionária para a juventude era um desejo do grupo liderado pelos irmãos Manoel de Moraes Barros e Prudente de Moraes, ambos advogados e políticos influentes na região.

Os irmãos Moraes estabeleceram contato com os imigrantes norte-americanos de Santa Bárbara D’Oeste, berço do Metodismo no Brasil, e conheceram o pastor Rev. Newmann. Desta amizade nasceu a ideia de criar em Piracicaba uma escola moderna, nos mesmos moldes das escolas norte-americanas.

Com o apoio político dos irmãos Moraes, em 13 de setembro de 1881 a missionária americana Martha Watts abriu as portas da nova escola: "O Colégio Piracicabano".

Marie Rennotte (1852 – 1942) foi a primeira professora da escola e chegou a dividir quarto com Martha Watts, ensinando a língua portuguesa para a missionária. Marie se tornaria o braço direito de Martha e uma personagem fundamental na história do colégio.

A construção do prédio próprio - "Edifício Principal" - na esquina das ruas Boa Morte e D. Pedro II ficou pronta em 1884. O belo casarão de tijolo à vista e telhas francesas diante do acanhado casario da vila na época, convenceu o povo de que a escola viera para ficar e foi um sucesso.

O Colégio Piracicabano foi construído e sustentado pelas mulheres metodistas norte-americanas, cujo objetivo principal era promover a educação feminina no Brasil. Por essa razão, até a década de 30, só havia internato para moças. A educação para meninos era em regime de externato e somente em 1934 criou-se o internato masculino.

O currículo do Colégio Piracicabano oferecia desde os primeiros anos um variado elenco de disciplinas, estando muito à frente dos currículos das escolas da época.

Logo após a Proclamação da República, Prudente de Moraes foi nomeado governador do Estado de São Paulo e implantou a reforma do ensino público tendo como modelo o sistema de ensino do Colégio Piracicabano.

Os anos se passaram e a escola metodista cresceu e evoluiu com a cidade, que deixou de ser uma vila pobre para tornar-se um núcleo importante do desenvolvimento da região.

Vários cursos foram criados durante a história do "Piracicabano" visando atender às necessidades educacionais da região e o Colégio deixou de ser só Colégio, passando a abrigar cursos superiores em 1964 e a Universidade Metodista de Piracicaba em 1975, hoje, com cerca de 12.000 alunos.

Essa longa e bela história começou em 1881 com uma professora, Miss. Martha Watts, e apenas uma aluna, Maria Escobar, e o desejo de continuar a oferecer o melhor ensino de Piracicaba continua vivo e ativo!

 

Um grande abraço de toda comunidade do Colégio Piracicabano.